Oscar e o 'Jus Sperniandis' colorado

O TST, no qual o combativo e sempre otimista setor jurídico do Inter depositava suas mais caras esperanças de vitória, sequer analisou o recurso, devolvendo a batata quente para o TRT, em São Paulo. Ao território inimigo, portanto.

O TRT paulista foi quem reativou o contrato de Oscar com o São Paulo. Uma decisão que abalou os profundos alicerces da convicção colorada de que conseguiria levar o jovem talentoso assim, na maior, de graça.

Durante meses a direção colorada passou ao seu torcedor, através de uma imprensa com postura pouco crítica e absolutamente parcial em relação ao caso, que o Inter havia feito uma grande jogada trazendo Oscar sem pagar nada ao SP. Dito assim, era mesmo um grande negócio. A meu ver, uma ação antiética.

Sei de gremistas que invejaram a ação dos dirigentes colorados, reclamando que os do Grêmio não eram capazes de lances parecidos.

Hoje, com outra derrota no tapetão, os colorados estão temerosos. Dizem que o Inter pagou cerca de R$ 4 milhões para ter 50% dos direitos federativos (passe mesmo) de Oscar. Não sei se é verdade, menos ainda para onde teria ido essa fortuna. Provavelmente para Oscar e seu procurador e/ou empresário. No meu bolso é que não foi parar.

O presidente Luigi e sua assessoria jurídica não consideram essa decisão absolutamente contrária aos interesses do clube como uma derrota. Se isso não é derrota, seria o quê?

É mais uma batalha perdida. Não a guerra, claro.

Cabe ao Inter lutar até o fim. É o  ‘jus sperniandis’, expressão latina que não existe de fato, mas muito usada por estudantes de Direito no meio acadêmico, e que significa o livre direito de espernear. Ou algo assim.

Agora, nessa questão, eu torço pelo SP.

Na verdade, torço para que a moralidade, a ética e o respeito prevaleçam em tudo, inclusive no futebol.

Em sua nota oficial, na qual dá prazo de 90 dias para Oscar se apresentar, o SP afirma com muita felicidade:

“Essa não é uma briga entre clubes, nem uma briga do São Paulo com o atleta que admiramos. É uma briga pelo respeito à legislação e às Instituições desportivas”.

Perfeito. Quero frisar que fosse o Grêmio no lugar do Inter pensaria da mesma forma.

Aos colorados peço apenas que imaginem se a situação fosse inversa.

Enquanto os dirigentes entrarem nessa de aproveitar o litígio entre atleta e clube, em alguns casos litígios provocados por espertalhões que querem tirar proveito dessa relação cínica entre os clubes, cada vez mais eles irão perder e procuradores e empresários enriquecer.

A esse respeito, recorro mais uma vez à nota do SP:

“Sem prejuízo, aproveitamos para reiterar nosso respeito e admiração profissional pelo Atleta Oscar, que foi formado nas esteiras do São Paulo Futebol Clube e que acabou sendo colocado, por aqueles que deveriam orientá-lo, no centro de uma lide histórica na qual se discute não apenas o contrato assinado, mas o próprio nível de segurança que os clubes nacionais gozam frente à conduta predatória de terceiros, alheios à relação de emprego”.

Oscar parece mesmo ter sido seduzido por uma conversa de ganhar muito dinheiro em pouquíssimo tempo, mais ou menos o que motivou a famiglia Assis Moreira dez anos atrás.

Na raiz desse tipo de pensamento, no qual se despreza completamente o clube em que o atleta jogou desde criança, está uma questão de caráter.

E é aí que entra a família na vida de um jovem de origem pobre, humilde, que possui um talento especial. Onde estava a família de Oscar quando ele decidiu romper com o SP? Pelo que soube, ele é órfão de pai. Mas e sua mãe, sempre tão importante para qualquer um, principalmente para os mais jovens? Ela está blindada? Não pode falar? Sinceramente, gostaria de saber o que ela pensa.

E isso me conduz o caso Alexandre Pato. Ele poderia ter saído do Inter sem renovar, deixando mal o Inter. Mas eu lembro que seu pai veio a Porto Alegre e renovou, garantindo uma robusta indenização ao Inter, e dizendo que fazia isso por gratidão ao clube que ajudou Pato a se desenvolver profissionalmente.

Bonito, não? Pena que gratidão seja uma palavra tão desgastada quanto a ética.

Se gostou, compartilhe!

  • Angelo Rodrigues

    Belo texto, concordo com tudo. A questão é maior que Inter, São Paulo e Oscar – diz respeito a todos os clubes que investem na base. Se ganha o Oscar, “empresários” irão abordar guris talentosos oferecendo mundos e fundos para mudar de clube, e o clube que acreditou e investiu inicialmente, fica a ver navios. SE o empresário traz o guri para o clube, justo que tenha uma participação na venda, mas não foi este o caso do Oscar, conforme outras notícias, que falam que ao assinar com o guri, o empresário demandou do São Paulo 30% dos direitos federativos (o bom e velho passe). Sendo negado, começou a confusão.

  • walter

    Ilgo,

    Esse pendenga do Oscar pode ser resolvida com uma conversa olho no olho.
    Contudo, infelizmente, meus colegas advogados, mais parecem uns galos de Rinha, primando pela batalha judicial, do que um acordo.
    Causa espanto o modo que o advogado do Inter fala, esbanja confiança, e esquece do principal, o dever de informação dos possiveis riscos e prejuízos que tem o Oscar nesta demanda.
    Ora, convenhamos, se realmente existe a tal multa rescisória de R$ 17 mi, basta o Inter quita-lá e terá o Jogador.
    Se o Inter ofereceu R$ 8mi, sem duvida alguma está muito abaixo da multa.
    Na verdade, assim como quase tudo no nosso dia, certamente outros interesses estão em jogo.
    Quem sofre é o Oscar na condição de trabalhador.
    Os advogados ao invés de desatar o nós, as vezes complicam muito mais.
    Sinceramente, eu na condição de procurador do Oscar, colocava ele no avião, chegava lá lá no São Paulo e colocava todos os pingos no “is” e seguia a barco.

  • Ernani

    Ilgo!

    Só duas palavras pra ti…….Para Béns.

    Abraço

  • Diego

    O Gremio pode estar trazendo novamnete o Ronaldinho traira gaucho, pois dizem que o clube esta contratando o melhor meia do Brasil e que joga na seleção e seu clube esta mal financeiramente. Poderia ser o Ganso, mas este é impossivel a alem disso RG é melhor que ele.

  • Denigelson da Rosa Ismael

    Eu tenho que rir! Isso só pode ser uma piada né DIEGO? RG é melhor que Ganso! RG foi melhor que qualquer um entre 2002 até o meio de 2006, depois disso nunca mais jogou futebol, teve alguns momentos isolados de boas atuações, mas só!

    Ilgo, colaborando com a tua análise, o ANDERSON, quando saiu do Grêmio, também poderia ter saído de graça, na mão grande, mas o garoto, sim o ANDERSON, ele mesmo, fez questão de renovar e sair pela porta da frente, sou valorizar aquele que tanto lhe deu, o GRÊMIO!

  • Hillary

    Concordo contigo em tudo e aproveito a ocasião para elogiar teu ex-colega da Radio Guaiba, que eu considero disparado o melhor comentarista do gaucho, o Sr.Vinicius Sinott! Ontem na radio teve uma discussão acirrada sobre o assunto e ele foi uma voz praticamente solitária concordando em tudo contigo e os outros achando que se era o SPFC o espoliado, então tava tudo bem, podiam rouba-lo a vontade.Menos, né??
    Ate gostaria de saber o email dele para elogia-lo diretamente….

  • MAZEMBIANO

    Porque a Presidente Dilma não se manifesta no caso Oscar também…

  • ilgowink

    Ronaldinho Pagodeiro? Diego, não vai atrás daqueles que querem o nosso mal.

    Hillary, ouvi um comentário do Vinicius e realmente é isso mesmo. Ele é uma das poucas vozes equilibradas a respeito do caso Oscar.
    Hoje, os colorados da mídia estão ao lado do Inter, claro, mas se tivessem tirado o Damião do clube por uma ação de empresários e procuradores? o que eles diriam? que é a Lei?

    Ligue pra radio Guaiba e peça pelo Marcelo Salzano, diga que tu és minha amiga e peça o telefone
    ou mande um email pra mim que eu descubro

    Denigelson, bem lembrado. O Anderson também foi muito correto.

  • Francisco Coelho

    Brasil Sub-15 goleia o Fluminense Sub-15.
    A Seleção Brasileira Sub-15 disputou mais um jogo-treino nesta terça-feira, na Granja Comary, onde passa por um período de treinamentos. Desta vez o adversário foi a equipe sub-15 do Fluminense, que foi goleada por 4 a 0. Os gols foram marcados por Pablo (dois), Anderson e Matheus Pereira.
    Escalação:
    Juliano, Renan, Rodrigo, Maiberson e Fabio; Giovane, Waltencir Jr, Matheus Moresche e Lincoln; Robson e Pablo. No segundo tempo, todos os reservas entraram na partida.

    O zagueiro Maiberson e o meia Lincoln são do Grêmio.

  • ilgowink

    E essa do Leandro?
    O caso mostra falta de família pra dar apoio e orientação.
    O guri tem muito potencial.
    Acho que essa prisão com documento falso explica por que ele
    parou de jogar depois de um início promissor.
    Acho que falta também direção atenta para orientar e fiscalizar.

  • walter borba

    Ilgo,

    Essa situação do Leandro, infelizmente não é novidade.
    Além de faltar apoio dos pais, falta EDUCAÇÃO ESCOLAR.
    Jogador, 95% são semi-analfabetos, mal sabem escrever o nome. É na escola a que a personalidade do ciddão começa a se formar. Jogador “burro”, é marionete na mãos de pessoas interesseras.
    Deveria ser requisito de jogador de Base ter que continuar estudando para jogar bola.
    Atualmente, a desculpa de que não é possível conciliar estudo e futebol, é fulminada com a Internet e as facilidades que ela propõe de ensinamos EAD.

  • Marcos

    O Oscar levou 1 milhao adiantado para entrar em litígio com o Sao Paulo, conseguindo se desvincular do clube posteriormente, por recomendacao do seu empresário, foi o que eu li.
    Porém, o Sao Paulo nao é modelo de clube para nenhum outro e seus dirigentes, lustram suas caras com Jimo Cumpim todas as manhas. Odeio o colorado, esse Oscar é um maloqueiro e sem caráter e o Sao Paulo, finalmente, levou o troco, depois de atravessar vários negócios de outros clubes brasileiros. Por mim, que fiquem nessa pendenga durante 10 anos, pois todos perdem. Nao tenho pena do jogador. Agiu de ma fá, quis tirar vantagem de uma situacao e agora nao pode jogar. Bem feito.

  • Felipe Wenzel

    Ótimo texto Ilgo. Agora a imprensa isenta se agarra ao fato da Conmebol ainda manter o nome do Oscar na lista da Libertadores como jogador colorado. Se essa não colar, vão se agarrar em outra coisa

    E essa do aliciamento do jogador da base do Galo com apoio do A$$i$!? Silêncio constrangedor, e quem fala é pra desqualificar o presidente do Atlético, um descaramento nunca antes visto, sujeito pode ser um pouco profissional, tudo que é relacionado aos atos de pirataria do co-irmão é minimizado pq o São Paulo é aliciador e não pode reclamar, o presidente do Galo é um fanfarrão não tem credibilidade e assim segue o barco..sem contar essa invenção criada este ano chamada “Grenalização”, repararam que este termo só é usado quando o co-irmão tá com problemas vide reforma do Beira-Rio e agora na pirataria do Oscar, pra aliviar o lado vermelho, batem na tecla da “grenalização”

    Abs!