O desafio de Renato e Espinosa

Um time que vem de sete jogos sem vitória, duas goleadas diante de adversários medianos e que faz hoje uma campanha de quem se esforça para ser rebaixado.

É o que Renato Portaluppi vai encontrar em seu retorno ao Grêmio. Desta vez, com o sempre campeão do mundo, Valdir Espinosa, ao seu lado.

O desafio da dupla não é pouca coisa. Mas também não é pior do que as duas situações anteriores encontradas por Renato, em 2010 e 2013.

Neste domingo, os dois puderam conferir pela TV o que vão encontrar a partir desta segunda-feira, quando começam a trabalhar na Arena.

O Grêmio conseguiu ser batido pelo Fluminense, que vinha de derrota em casa para a Chapecoense.

É preciso ressaltar que não faltou empenho aos jogadores, pelo menos a meu ver. O Grêmio jogou todo o primeiro tempo no campo do adversário, que resistiu a uma pressão infernal. 

Mas aí aconteceu um contra-ataque, a partir de um erro de Ramiro. Em três passes a bola foi parar nos pés de Gustavo Scarpa – uma das revelações do campeonato. Habilidoso, Scarpa não teve dificuldade para fazer 1 a 0, o gol da vitória.

O gol teve impacto forte no time tricolor. Murmúrios vindos da arquibancada contribuíram para perturbar ainda mais o time.

No segundo tempo, o técnico interino James Freitas se manteve fiel à herança deixada por Roger Machado. Manteve o trio de volantes, inclusive com Ramiro, que disputa com Marcelo Oliveira a posição de mais odiado pela torcida.

Bem, o time ainda seguiu tendo mais posse de bola, mas já sem a pressão inicial. E sem nenhuma objetividade e efetividade ofensiva. Muito toque de bola, chutes de longe e pouca infiltração.

É visível a queda de rendimento de alguns jogadores. Edilson, por exemplo, que acumula quase uma dezena de cartões amarelos.

Kanemann é outro que gosta de bater. Wallace é melhor que ele.

Enfim, Renato e Espinosa terão muito trabalho pela frente. 

E a resposta precisa ser rápida, começando por garantir vaga na próxima fase da Copa do Brasil na quarta-feira diante do Atlético Paranaense.

Basta um empate. Mas para garantir a vaga o Grêmio terá de jogar bem mais do que apresentou neste domingo diante de seus torcedores assustados, revoltados e preocupados.

Conhecendo Renato, o Grêmio será sem dúvida mais vibrante e objetivo.

Se gostou, compartilhe!

  • Ricardo de Cruzeiro

    Repito: o Grêmio não é justo com o Renato.Vai ser usado como fita de remendo e depois mandado de volta pro RJ.

  • CELSO

    Meu Deus do céu, o Romildo está ressuscitando os perdedores de 2004, quando vi a nominata dos que vão integrar o Futebol e o Dep. Médico do clube, senti um arrepio e o amargo gosto do rebaixamento outra vez. Para não cairmos teremos que fazer oito 0 x 0, mas só jogaremos 5 vezes na Arena. Não esperem que ainda façamos gol no resto do campeonato, só que para o 0 x 0 ,não dá pra levar gol, e aí está a equação que o novo “orientador” vai ter que resolver.

    • ari

      O Preis aquele parece uma tia velha. Tá no Gremio há 100 anos, não tem gente nova boa será? imagina essa figura oriunda de 2004 entrando no vestiário com aquela cara. Boleiro vai rir pelas costas.

      • Detective

        Amigo, sugiro, sempre que posso, a contratação de um departamento de futebol do centro do país, sem a medíocre mentalidade retranqueira do futebol gaúcho, que ora vigora. Sugiro, também, um conselho que contrate um presidente com mentalidade avançada e vencedora.

    • Dimer

      Quando vi o nome de Saul Berdichevski pensei na hora em 20032004: estou desesperado, sorte que só tem mais duas vagas (talvez uma, já que o Figueira tá se enterrando) em aberto no Z4. Com o devido respeito a Preiss e Espinosa, mas o Grêmio caprichou na velharia dessa vez, é pra se assustar.

  • Borges

    Vamos começar do princípio. Uma torcida que idolatra um goleiro medíocre como Marcelo Grohe merece os 15 anos de jejum. Ha dois anos que vem falhando sistematicamente e entregando em vários campeonatos. Sempre arrumam um salvo conduto para explicar suas falhas.

    • Detective

      Mas para eles o Sant’ana estava errado. Quem começou com essa idolatria foi o chinelo do Pedro Ernesto.

  • Paulo Juliano Roso Teixeira

    Uma pena que a diretoria pense mais na acomodação de parentes e na política do que no clube. Somos um arremedo de time com um grupo fraquíssimo. Aceitaria passivamente as justificativas das dificuldades financeiras não fosse o gasto absurdo no Capitão Desconforto, Walasse – odiado pelo torcedor flamenguista – Reis, renovação de MO, aquisição do H.A., prolongamento de contrato do T-Rex , o contrato de “produtividade” do Doga que leva em conta a assiduidade, além da nebulosa transação do Giuliano. Corremos atrás do rabo.

    • Detective

      Bah! É verdade! Pelo menos entramos para a história. Temos um T-Rex no gol.

      • Marcos lena

        O gol de ontem, faltou técnica para o Grohe, se ele fica de pé, poderia defender com o pé. A bola estava muito longe e com tempo de reação. Passou por debaixo do corpo, ele tentou encaixar a bola. Eu acho que ele errou sim

  • Serrano

    Sabem… é muito comum, quando se fala de Romildo Bolzan Jr., dizer algo do tipo: tá, mas pelo menos ele tá colocando as contas em dia.

    Eu vou ser muito chato se NEM MESMO ISSO eu conceder a ele? Que tal esperar um ano ou dois pra se fazer essa afirmação? Não tenho nenhuma informação privilegiada, mas não seria a primeira vez que a “reestruturação financeira” de hoje se torna o ” temos essa e esta outra dívida da Gestão passada” de amanhã. Até em déficit mensal andaram falando esses dias.

    O Grêmio de 2016 me tornou um gremista muito mais cínico. Então, se eu achar que não merecem crédito, não o terão.

  • Dilamar Costenaro

    O que esperavam, que o juventude da capital ganhasse de um time da série A, vocês realmente tem cérebro?

    • Marcos lena

      Errado, não é juventude da capital e sim botafogo do sul, por favor …

  • Ricardo de Cruzeiro

    AMÉRICA,Quando Deus fecha uma porta,Ele abre uma janela!