Noite de 'festa' e o poder de Odone

Em outra circunstância o jogo desta quarta-feira no Olímpico seria de festa e confraternização.

Afinal, é o jogo mil do Grêmio no Brasileirão; justo na data de aniversário do clube; e com dois ídolos, dois dos maiores ídolos, frente a frente.

O problema é que não há clima pra frescura.

Grêmio e Palmeiras já abusaram demais, ultrapassaram a cota de maus resultados no campeonato e hoje precisam vencer para galgar posições mais dignas.

Por isso, fora os cumprimentos e sorrisos formais que irão trocar Renato Portaluppi e Felipão antes do jogo, sob aplausos e lágrimas de torcedores, hinos e tudo mais, o clima é de guerra, de hostilidade. Claro, isso quando a bola começar a rolar. Aí, é cada um defendendo o seu lado.

Espero que Renato não permita que o ambiente festivo contamine o vestiário. Tenho certeza que Felipão não vai deixar que isso aconteça no seu. Raposa velha, vai querer tirar proveito da situação para sair do Olímpico com três pontos, algo que seu time não tem conseguido com freqüência.

O Grêmio vai para o jogo sem sua dupla de área titular. E isso é outro problema. Até nem é um problema grave, porque os dois titulares são, na verdade, dois zagueiros razoáveis apenas. Estão quebrando o galho enquanto não aparece coisa melhor.

Assim, em princípio, Paulão e Neuton não ficam devendo nada aos titulares. A questão maior é o entrosamento. Paulão parece um zagueiro do estilo do titular, o Wilson, uma grata surpresa para mim; enquanto Neuton só não tem a experiência de Rafael Marques. Em troca, tem mais facilidade para aparecer na frente, de surpresa.

O Palmeiras não é lá essas coisas (Tadeu é o centroavante, vê se pode), mas tem um técnico ardiloso e experiente.

Afora o clima de festa que sempre me preocupa, Felipão no banco do Palmeiras é a minha maior preocupação.

Time por time sou mais o Grêmio.

Técnico por técnico, sou mais o Felipão.

Mas, parafraseando antigo personagem do Chico Anísio: “Mas quem não é?”

SAIDEIRA

Leio e ouço manifestações de conselheiros preocupados com o poder que Paulo Odone terá no Grêmio com a eleição de 150 conselheiros da oposição.

É muita força. A mesma, ou até menos, que Fábio Koff teria se atendesse o apelo e as orações da torcida e voltasse ao clube do seu coração, que hoje abriga também os integrantes do Clube dos 13.
Odone angariou inimigos ao longo de sua trajetória como dirigente. Mas também colecionou amigos e admiradores. Como todos nós, tem seus defeitos.

E também suas virtudes. Umas delas, é reconhecer em quem lhe faz oposição capacidade para colaborar de sua gestão. Já fez isso outras vezes pensando no bem do clube e, por tabela, de si próprio.

Para isso, é preciso grandeza. Uma grandeza que não percebi no grupo que está no poder há quase dois anos.

FECHANDO A CONTA

De novo a Casa Civil. De novo a lama fétida e nojenta atinge os pés do ídolo de barro. E, de novo, ali ficará.

Se gostou, compartilhe!

  • Lair FERST

    epa. esquecestes de dizer QUAL CASA CIVIL HUÁ HUÁ HUÁ
    A da yedinha q deixa PROCURADOR NA PORTA DO PALÁCIO pra se vingar do MP que mostra seus podres diários?
    EHHEHEHEHEHHUÁH HUÁ HUÁ HUÁ

  • Anonymous

    Talvez a mesma que deixou os diretores da ford esperando, enquanto recebia o pessoal das farc.

  • Ilgo!

    A questão política do Grêmio é choro de perdedor, aliado a um vazio de títulos ou campanhas boas, vejamos:

    Na gestão DUDA, o Grêmio disputou em 2009, o Gauchão (que campanha lamentável), a Libertadores (caiu para o primeiro adversário razoável, não bom, pois o Grêmio poderia facilmente ter vencido os dois jogos) e o Brasileiro (uma única vitória fora de casa).

    Este ano, ganhamos o Gauchão, todo borrado no Olímpico, mas ganhamos. Silas inventou na Copa do Brasil e perdemos para o Santos, fracassamos na Sulamericana e agora, na reta final, ainda dá tempo, esperamos uma recuperação daquelas de cinema.

    Aliado a todo esse fracasso futebolístico, teve as eleições do Grêmio. A situação naufragada nos resultados de campo, viu-se encolhida, espremida, amedontrada. Lançou KOFF, que não se lançou, não teve a mesma coragem de dois anos atrás quando no pátio do olímpico lubridiou tantos e tantos gremistas, prometendo, inclusive, atuação no vestiário tricolor para ajudar o DUDA.

    A situação que anos atrás impediu que a claúsula de barreira passasse de 30% para 20%, perdeu em sua própria imposição.

    Mas perdeu mesmo, pelo medo de trazer o PORTALUPPI quando demitiu o Roth, diga-se, invicto na Libertadores.

    Perdeu mesmo, por querer ir para a segunda divisão abraçada a bíblia do Silas.

    Gosto do Duda, um grande cara, mas que não teve a imposição que um presidente deve ter.

    Odone não será dono do Grêmio como dizem algunsm, apesar que nomes como Alberto Guerra, Pedrodit, entre outros irão fazer falta, uma oposição é sempre boa.

    Mas se a Revolução Odonista fizer um bem ao Grêmio e eu acho que fará, que fique por muito tempo a frente do Grêmio, já que gremistas históricos, cito um, KOFF, não querem largar o clube dos 13, para comandar o tricolor. Assim, que fique no cargo aquele que se dispõe a isso.

    Um grande abraço.

    P.S.: 45 mil pessoas amanhã para um jogo histórico! Mais uma vez quem levará o Grêmio a outra vitória será a torcida.

  • É isso aí mesmo Denigelson (já pensou uma dupla Ilgo e Denigelson?). correta tua análise. o que importa agora é torcer para que o Grêmio se organize melhor, com mais planejamento, etc.
    de quebra, uma vitoriazinha hoje. se bem que o Valdivia sempre arrasa contra o Grêmio.

    O lamaçal de novo não alcançará o grande líder…
    e o pior é que tem gente que prega moral mas defende essa sujeira só porque é dos seus.

  • Na estréia do Cristian de Souza mesmo com derrota gostei do time gremista no grenal. Faltou um atacante de velocidade e Josias entrou tarde e no lugar de quem não deveria sair. Pessalli com 1 perna cria mais e cadencia o jogo. Belo gol de falta do Massari que pegou o ótimo Matheus adiantado. Foi um gol de lançamento na área, mas entrou no ângulo. Matheus a meu ver é o mais arrojado dos goleiros gremista.
    Pareceu-me pesado em campo o time gremista. Gérson um destaque até sentir algo foi o exemplo de que a preparação não está boa. Émerson antes criativo foi mais força. A vontade do Spessato o leva a cometer faltas.
    Alguns jogadores não identifiquei e o som da transmissão pela internet era um sussurro.
    Vamos acompanhar o trabalho do Cristian de Souza. Não gosto de treinador que quando com resultado adverso modifica muito. Sinal que escalou errado.

  • Odone teve erros e acertos. Pelaipe foi um erro e causou desgastes e atritos até com outros clubes. A derrota para Kroeff e as pedras que levou devem ter servido de lição. Se souber levar com equilíbrio pode se dar bem, pois do contrário o atual grupo agora lambendo as feridas e curtindo rancores vai fazer de tudo para retornar nem que tenha de mumificar o Koff. Será o último cartucho da nova oposição o RETORNO do Koff. Ficaram sem liderança e divididos em grupinhos.

  • Krieger, Meira, Kroeff e Cacalo passam a ser ZERO a esquerda. Claro que Cacalo vai ficar criando factóides para tentar algo. A vinda do Felipão será um motivo para o mesmo carregar sua bagagem e tentar ser papagaio de pirata. Vamos ver…
    Tem gente que pensa ser esperto engraçado e saber das coisas. São os inocentes bestas que servem de peões ao Fidel, Chaves e Lulla da vez. São pessoas que só olham um lado da moeda. Se contentam com alguma migalha que caia da mesa.

  • Zé Esquilo

    e o pior é que tem gente que DEFENDE SÓ PQ É DAS SUAS…
    P.S. Falando na tua YEDINHA, blogueiro?
    HUÁ HUÁ HUÁ
    P.S Pq o teu puxa-saco (cujos antecedentes NÃO PODIAM SEQUER PASSAR NA PORTA DO ESTÁDIO DO GRÊMIO)que e´tão bom em publicar fotos no blog, NÃO PUBLICA FOTO DA DINHEIRAMA ROUBADA DO BANRISUL? HEIN? HUÁ HUÁ HUÁ

  • Anonymous

    Eliane Cantanhêde
    O PT de Dirceu que Dilma esconde
    A declaração de que o PT terá mais poder com Dilma do que com Lula, feita pelo ex-ministro José Dirceu, eterno presidente de fato do partido, é motivo para reflexões, avaliações e projeções muito sérias. Até porque – ou principalmente porque – o PT tem sido um ausente do discurso de Dilma na campanha.
    A equação não fecha: Dilma disfarça o partido, mas o partido vai ter ainda mais poder no governo dela?

  • Anonymous

    Josias de Souza
    – Liberdade de expressão: “Dizem que nós queremos censurar a imprensa. Diz que o problema é a liberdade de imprensa. O problema do Brasil é excesso, […] abuso do poder de informar, o monopólio e a negação do direito de resposta e do direito da imagem. […] Os tribunais brasileiros estão formando jurisprudência. Se vocês lerem os discursos do Carlos Ayres Britto [ministro do STF], aquilo não é voto é discurso político, que a liberdade de imprensa está ameaçada no Brasil, que é um escândalo…”
    Articulador oculto da campanha presidencial de Dilma Rousseff, José Dirceu se expôs por inteiro numa palestra que proferiu na Bahia. Deu-se na noite de segunda-feira (13). O deputado cassado falou para uma platéia de petroleiros. Ele não suspeitava, mas foi ouvido também por repórteres.

    As palavras de Dirceu não deixam dúvidas quanto à presença dele na definição dos rumos do PT e no dia-a-dia da campanha de Dilma Rousseff. Para ele, o jogo da sucessão de Lula está jogado. Acha que, sob Dilma, o PT terá mais peso do que teve nas gestões de Lula.

  • Anonymous

    O irmão da ministra Erenice Guerra, da Casa Civil, José Euricélio Alves de Carvalho é apontado por auditoria do governo como responsável pelo desvio de R$ 5,8 milhões da editora da UnB em contratos fantasmas, o que incluiu pagamentos a ele próprio e a Israel Guerra, filho da ministra que atua como lobista.

  • Venho no boteco para saber do Imortal, e tem mais comentário político do que esportivo. E o pior, um lado só fala dos roubos e crimes do outro, até porque é só o que se tem pra falar. Deixo aqui minha modesta opinião de que, a diferença entre Lula e oposição é só uma: quem esta no poder. É tudo a mesma (porcaria) coisa. Ou alguém conhece algum político competente e honesto (vivo)? Pra falar de futebol, André Lima em noite de Jardel: Grêmio 4×0. Que tu colhas, sempre todo dia, paz e alegria na lavoura da amizade!

  • Zé Esquilo

    Isso eu sempre digo, cada um puxa p um lado, mas a verdade é que quem realmente se preocupasse em afastar os maus partidos, apoiaria os chamados nanicos. Mas aí se traem, QUASE TODO MUNDO, e jamais dizem, ” Pô, a vera Guasso do PSTU, pode ser que não ganhe nunca, mas eu vou votar nela, afinal, tá nessa luta eterna e o dinheiro (pouco) q arrecada p campaha do partido dela, sa´ide vendas de agendas, de rifas…), não faz acordos com quem acha que não é correto e por aí”.
    Mas não, aí dizem que é pq são radicias, blá, bla´, blá.
    Então, a verdade é como definiu oJuremir na Crônica, em 2006, ” O Voto Útil”.