Grohe, Gumex e os eternos implicantes

O torcedor de futebol é um implicante.

Lembro que não gostava das entrevistas do Tite em sua passagem – vitoriosa – pelo Grêmio. Parecia um autor de livro de autoajuda. Na redação do Correio do Povo eu o chamava de Lair Ribeiro. Pura implicância.

Mas sempre reconheci no Tite um grande treinador. Aliás, tempos depois de sua saída por causa daquela bobagem das ovelhinhas, escrevi que por mim Tite teria contrato vitalício com o Grêmio. Ou quase isso.

Desde, é claro, que mudasse o seu discurso, que hoje está bem melhor.

Então, também sou um implicante. Hoje, por exemplo, implico com quem implica com Renato Portaluppi, o melhor treinador em atividade no futebol brasileiro.

Tem gente que implica com o jeito marrento do Renato, com sua sinceridade, com suas frases provocativas,  com sua mania de dizer a toda hora “meu grupo” (acho que não precisava repetir isso).

Tem até gente implicando quando o Renato não se contém e solta um “sou gênio”, coisa que eu mesmo faço quando tenho uma boa ideia (o que é raro) ou quando elaboro uma frase genial (o que é mais raro ainda). Li que o Paulo Sant’Ana também soltava seguidamente um “sou gênio” na redação da ZH. Quem nunca?

O torcedor implica com qualquer coisa, principalmente quando o alvo é um jogador que ele não gosta.

Hoje, o preferido de nove entre dez gremistas (exagero, claro) é o Marcelo Grohe. Já li nas redes sociais um pessoal implicando com o fato de Grohe ser muito religioso.

Outros implicam com a cara de bom moço do Grohe, o genro que todo pai quer para sua filha.

Quase saí de costas quando descobri que há gremista implicando com o cabelo de Grohe. Um amigo meu é um deles. Tem até um grupo no whats só pra falar do goleiro gremista. E aí dá de tudo.

Mas o que tem o cabelo do Grohe?, perguntei, e logo me arrependi de ter levado a conversa adiante.

Meu amigo (fã ardoso do Danrlei com seu jeito de bad boy, antes de entrar para a política) respondeu, e eu vou resumir:

-O Grohe tem o cabelo engomadinho, todos os fios no lugar. Goleiro não pode ter cara de bom rapaz. Goleiro não pode ser todo certinho. O problema é que o Grohe é tão certinho que até quando quer cometer algum tipo de malandragem no jogo acaba exagerando, como no caso das tentativas de fazer cera pra ganhar tempo. E aí o juiz flagra a falsa malandragem, justamente porque Grohe não é malandro. Esse negócio de enganar a arbitragem não combina com o jeito do Grohe. Pra começar, ele teria de parar de usar Gumex no cabelo.

Esqueci de dizer, esse meu amigo é um sobrevivente dos anos de chumbo do Grêmio, a década de 70. Gumex era um fixador de cabelo dos anos 50, que durou até anos 60/70.

A título de curiosidade. Tem uma frase, criada pelo grande Ari Barroso – autor do clássico Aquarela do Brasil -, que era narrador de futebol. Num determinado jogo lascou uma frase que é repetida até hoje:

– Dura Lex sed Lex, no cabelo só Gumex.

Sei lá se Grohe usa Gumex ou coisa parecida, isso realmente não importa. O fato é que ele tem sido condenado até quando não falha, como aconteceu no empate com o São Paulo. A meu ver, pura implicância.

 

Se gostou, compartilhe!

  • Lucas Eduardo Pavão

    Agora o senhor se prepare para a saraivada de tiro que vai levar hehehehehe. Vai ser hilário

    • Ilgo Wink

      uso colete a prova de balas, rsrsrs

      • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

        kkkkk, mas sei que tu és fã do Cássio, meu nobre, e eu também.

  • Daniel Scherer

    Eu continuo achando Grohe um goleiro mediano, na média ruim do futebol brasileiro, que ele falha mais do que salva, como a maioria dos goleiros brasileiros, que ele tem mais defeitos que virtudes, como a maioria dos goleiros brasileiros e não to nem aí pro cabelo dele, falsa malandragem e se é feio ou bonito.
    Aliás acho que esse assunto é inócuo. Grohe era, é e será o goleiro do Grêmio até o final deste ano pelo menos. Então é chover no molhado esse assunto. Gostaria do Neuer no gol do Grêmio, mas ainda assim no primeiro gol haveriam cornetas e criticas. Faz parte da posição. Cássio há 6 meses atrás estava sendo defenestrado do Corinthians. É assim e assim será.
    Mas não dá para deixar de referir que a maioria acha que o Grohe está aquém do resto do time, apenas tecnicamente falando, desconsiderando outras análises que não podem ser levadas a sério.

    • gremiocampeaomundial

      Depende de como você usa o termo “mediano”. Se for usar uma “escala absoluta”, isto é, de todos os goleiros que conheci, vi jogar, na rua, etc, é BEM mediano. Só não é abaixo disso inclusive por muito pouco.

      Agora se for olhar as opções ele fica “acima da média”. Dentre os que EU conheço atualmente, ele inclusive fica acima da média considerando todas as opções, INCLUSIVE as inviáveis.

      Goleiro que pegue tanto quanto o Grohe e não deixe passar as fáceis… putz, tem o Neuer e o vô Buffon que eu lembro.

      “Problema” na hora de avaliar o Grohe é que olhando a capacidade que ele tem de “operar milagres” ele parece muito bom. Mas aí na hora de contar as bolas fáceis…

      Só que isso é assim com a maioria dos goleiros pelo visto. Inclusive eu acho aquele Navas BEM mediano. Mas é o que tem pra hoje. Lateral é a mesma coisa, vê se o Marcelo é algum primor defensivo. Só que a deficiência na posição de goleiro é bem mais grave (leia-se: o goleiro num Mundo ideal está muito mais longe do Navas do que o Marcelo do lateral num Mundo Ideal).

      Aqui vai uma curiosidade: Real levou gol em QUASE TODAS as partidas da CL 2016-17 incluindo as seis partidas da fase de grupos. A ÚNICA exceção foi a semifinal contra o Atlético, no primeiro jogo (3×0 em casa). Mas jogar ao lado de Casemiro, Modríc e Kroos sempre torna as coisas mais fáceis…

  • Marcio Luiz

    A única coisa q questiono é essa titularidade absoluta do Grohe. Em 2014 e 1015 foi mto bem… Mas em 2016 já falhou mto (eliminações do gauchão e libertadores passou por ele) e 2017 piorou.

    Vou citar 4 exemplos: o goleiro do Avai e do Fla estavam falhando sucessivamente. Ao trocarem de goleiro notou-se uma evidente melhora (Fla viu q o Thiago era um goleiro mediano e contrataram o Diego Alves). Com o SP tb: saiu o Denis e entrou o Renan Ribeiro, q não é lá essas coisas mas é melhor e consequentemente o time está melhor. Por fim, e o mais emblemático exemplo do atual campeão brasileiro, Palmeiras. Prass vinha falhando e acabou indo pro banco, entrando o Jaílson. Palmeiras não perdeu mais, e não duvido se o mesmo fechar o gol contra o Cruzeiro na Copa do Brasil.

    • gremiocampeaomundial

      Jaílson tomou um gol hoje tão defensável quanto os que o Grohe toma. Aliás, não duvido que o Grohe pegasse aquela bola e tomasse alguma outra que o Jaílson pegaria mesmo jogando bêbado.

      Só que soma tudo e tira a média é a mesma coisa ou quase isso (e pró-Marcelo pra piorar).

      Não adianta: o Grohe não é muito bom mas não tem unanimidade. Vamos ver o PV. Elogiei bastante a contratação dele inclusive.

      • Marcio Luiz

        A cabeçada no gol do Cruzeiro foi quase no ângulo… heheheheh

    • Alexandre

      Em 2006, Marcelo substituiu Galatto, lesionado no Gauchão e foi bem. No Brasileiro começou a falhar e o reserva entrou, Cássio, e se mostrou superior ao titular (final do ano trocaram o Cássio pelo Saja, mas aí é outra história…). Hoje, Grohe é titular absoluto porque não há um reserva que possa substituí-lo à altura. Nem Léo, muito menos o Grassi conseguiram se mostrar confiáveis quando jogaram. A esperança para os críticos do Marcelo é o Paulo Victor, que chegou para ser uma sombra real ao titular.
      Renato vem mostrando que quem tiver melhor joga. Cito Arthur e Cortês como exemplo. Entraram no lugar de Maicon e M.Oliveira, titularíssimos, jogaram bem e permaneceram.

      • Marcio Luiz

        Arthur e Cortês só entraram pq os ‘titularíssimos’ na época se machucaram. O mesmo caso aconteceu com Douglas/Bolaños heheheh

        • Alexandre

          Verdade. Quis dizer que mesmo quando os “titularíssimos” voltaram de lesão continuaram no banco, por os substitutos terem entrado melhor. Com tantos jogos e competições pela frente, bem provável que o Paulo Victor tenha suas chances e, se render melhor que o Grohe, não duvido que o Renato o mantenha no time titular, como fez com os citados acima.

          • Ilgo Wink

            Alexandre, muita gente boa aqui dizia que o Renato logo iria colocar de volta os seus ‘bruxos’
            Se quebraram feio, mas não desistem

          • Marcio Luiz

            Sim, entendi… mas sempre temos q esperar uma lesão do titular pra testar o substituto? Só a partir dessa premissa é possível ver qm é melhor? Não deveria ser assim, mas td bem..

          • Alexandre

            Algum reserva hoje deveria ser titular no Grêmio?
            Se o time tá bem, os titulares rendem mais que os reservas, mudar porquê?

  • Luis Augusto Waschburger

    tenho um colega de trabalho que chega sempre com Gumex… às 8:00!!!
    Que horas ele acorda?!?!
    Eu confesso: desconfio de quem usa Gumex!

  • Rezende

    O Ilgo no jogo contra o São Paulo o problema do Grohe foi o MESMO de SEMPRE…

    A HORROROSA REPOSIÇÃO DE BOLA…

    Simplesmente 3 bolas chutadas direto para lateral ou para lá direcionadas porque algum companheiro resolveu atrasá-la para o Marcelo, e ele com confiança ZERO na sua habilidade com o pé, nem tenta, manda DIRETO para lateral.
    Quando a maldita bola da sua reposição fica no campo de jogo (com o pé ou com a mão) é mais de 80% que vai primeiro para um adversário.

    É ser muito condescendente e cego para o nosso titular para não se reconhecer que neste quesito Marcelo Grohe É E CONTINUA um dos mais fracos da SÉRIE A.

    Se tu conhece algum goleiro pior que o nosso em reposição de bola, me aponta EU não vi até agora NINGUÉM pior que ele…

    • gremiocampeaomundial

      DIZEM que o Prass é assim.

      Agora se uma entidade sobrenatural propor trocar a reposição do Grohe por outra TRÊS VEZES PIOR eu assino no ato! Mas aí, como compensação, quero meu ponto perdido contra o Corinthians de volta…

      Goleiro tem é que fechar o gol e chutar pra onde o nariz aponta. Com força. Esse negócio de “tocar a bola” é conversa de Guardiolista, não entra nessa.

      O M1nto antes de levar um pé na b*nda do SPFW toda derrota chegava com 2045720582452 números a favor na coletiva, mais de oito mil porcento de posse de bola. O único número desfavorável sempre, por “algum motivo”, era o do placar…

      • Rezende

        É só consultar o Footstats, o MG é pior que o FP em reposição de bola…
        Não é opinião ou dizem que é, é medição estatística…

        Caro, o futebol evolui NO GERAL e da mesma forma que se diz naturalmente hoje que volante tem que armar jogada (e o Grêmio é um dos times que mais usa desta nova tendência) e atacante tem de voltar para ajudar na marcação (Barrios é o mais eficiente zagueiro defensivo do Grêmio nas bolas cruzadas na área em bola parada)…
        GOLEIRO moderno, além de preferencialmente ser muito ALTO e braços LONGOS(alcance de bola lá no ângulo) no seu BIOTIPO, tem de saber jogar com os pés…

        EVOLUA meu caro… Futebol é PROFISSIONAL E COMPETITIVO…

        • gremiocampeaomundial

          Não, me desculpe mas veja bem: mesmo eu fazendo ressalvas à questão que você levantou, dos volantes, ela não cabe direito nessa analogia. O goleiro tem funçao e responsabilidade muito específicas no jogo de futebol. Pode passa mais duzentos anos e nada vai “evoluir” nesse ponto a menos que a goleira encolha ou os seres humanos consigam fazer igual no Shaolin Soccer.

          É complicado já decidir o simples. Por exemplo, ficar adiantado ou debaixo das traves? “Ah mas reduz o ângulo e coisa e tal e o espaço que sobra é mínimo” – sim, é mínimo. Mas aí quando alguém acerta sem querer não dá pra culpar o goleiro né? E eu já vi coisas assim acontecendo esse ano. Pra mim o goleiro pode ser até o Pelé: se ele, como goleiro, deixar as traves independente do que ele saiba fazer com os pés, está correndo risco desnecessário.

          Quanto a reposição, depende de como ele é orientado. Como vamos saber se o Renato não propõe esse tipo de jogo? Isso que muitos chamam de “futebol moderno” é uma falácia. Um pequeno argumento por vacuidade, ou existe fundamentaçao teórica por trás dessas opiniões? Não vou reclamar se você disser que confia porque foi dito por A ou B mas permita-me discordar. O que EU estou vendo (e muitas outras pessoas também), é o típico exagero diversionista contemporâneo aplicado a mais uma frente. Daqui a pouco surge outra coqueluche, dentro do próprio futebol.

          Não estou dizendo que a coisa em si não existe, mas que é superdimensionada. O Barcelona formou na base um time atípico com jogadores atípicos. Não existe teimoso na face da Terra que pegue onze Qualquer Um e faça jogar como aqueles. Aliás, o que tem de mais moderno ali é o preparo físico. As coisas que vejo como positivas já existiam em outros sistemas, e o conceito foi inspirado na Holanda dos anos 70 – só que errado. “Adaptado”, dizem alguns, que na prática é insistir na improdutiva mecânica do passe e ser iludido por um clube no planeta que ganhou ALGUNS títulos assim e muitas vezes levado nas costas pelo baixinho da 10.

          “Alguns?” – sim, ALGUNS! Ou o Real Madrid atual não tem a mesma média de conquistas do “Tiki-Taka”? Não tem nada aí além de um time bom que foi vencedor por isso. O resto é invenção ou da imprensa pra vender matéria, ou dos treinadores pelos seus egos do tamanho da lua. O Barcelona foi campeão APESAR do Tiki-Taka, não POR CAUSA dele. Não vou dizer que atrapalha, se bem executado, mas NÃO é o que as pessoas dizem ser e, se eu não puder pensar assim, gostaria ao menos de ser convencido do contrário, com argumentos. Sem “apelar à autoridade” do cara que viu o Conte de binóculo na Premier League.

          O futebol nunca vai “evoluir” nesse sentido por estar como muitas coisas sujeito à lei da Escassez. Nem todos os clubes terão jogadores com a característica X que a mídia adora, e seus treinadores não podem apenas entrar em campo pra perder dizendo que não tem culpa do seu volante não ser o Xavi. Estrategista DE VERDADE, quando É bom MESMO, faz do Tabajara campeão do Mundo e com a Vaca na artilharia. Tem que ser um pouco de tudo, saber um pouco de tudo, e ainda ser bom nesse pouco de tudo, como disse o Conte aquela vez. Como foi que o Barcelona perdeu para Inter e Chelsea mesmo? Pois é. E campeonato de dois é fácil. Dividir as conquistas com o rival numa amostragem decente de tempo – digamos, 10 anos – só prova, de novo, que o Tiki-Taka não fez nada sozinho, e o Real Madrid é merecedor dos mesmos aspectos de “evolução” de qualquer outro.

          “Ah mas no RM os volantes sabem jogar” – não é isso que estou contestando. Estou tentando entender por que é “tão” importante o goleiro repor a bola “direito”. Se não for pra manter a posse, considere-se recebedor de um grande pedido de desculpas e ainda admito que falei um monte de bobagem. Mas se estivermos discutindo o GOLEIRO – o GO-LEI-RO! – por causa da porqueira que acham que o Guardiola inventou, aí eu apelo á suspensão do juízo. Respeitosa e democraticamente, sem mais.

          Já a questão dos volantes eu vejo diferente. O goleiro é exceção óbvia e morta. Qualquer jogador pode se beneficiar e ao time de técnica apurada ou qualquer outra virtude “a mais” que tenha. Eu não tenho preferência em particular. Posso dizer, talvez, que minha “preferência” é que o time seja vitorioso com o que tem, porque dá. Claro que futebol não é xadrez e um elefante na defesa contra um velocista provavelmente não vai dar certo nem que ressuscitem o Michels pra treinar. Feitas as óbvias ressalvas, não vou ficar triste se os meus meias forem versáteis como o Xavi. Mas se não forem, não vou jogar a toalha e esperar a próxima geração ou sair contratando igual doido. Dá pra jogar assim. Não ter a característica A ou B é uma coisa, decidir se o atleta cabe num time competitivo é outra.

          O preparo físico é novo. O resto foi e sempre será raro – exceto a besteira dos passes. É só ver o monte de torcedor reclamando de times com 200000% de posse e na zona de rebaixamento. ESSA característica pontual e desimportante é fácil de copiar. Agora pega a parte realmente boa e vai perceber que não é bem assim. Além disso, não é “novidade” já que a Holanda original fez direito (não é fez “melhor”, é fez DIREITO mesmo). Assim mesmo, era um elenco raro de qualidades ímpares. Não funciona assim, nem com o Michels de verdade. Por isso quando ele voltou em 1988 não teve Carrossel. O Van Basten tinha posição definida. O goleiro não fardava mais a 8. E por aí vai.

          É ótimo ter volantes, laterais, “até” zagueiros bons de bola, velho, quem não queria outro Mauro Galvão? Mas começar com essa historinha de “futebol evoluiu” e o “argumento” implícito ser a opinião do Grão-Mestre da Catalunha realmente me dá nos nervos. Pèço até desculpas se soei ríspido em algum momento e, se aconteceu, foi sem qualquer má intenção ou algo pessoal.

  • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

    Meu caro amigo Ilgo Wink !!!!!

    Sobre o Marcelo Grohe, qualquer coisa que qualquer um dos teus fiéis seguidores escrever aqui sobre ele ou qualquer outro assunto, estará aí registrado no Disqus e ninguém poderá contestar, pois é só pesquisar.

    Tenho dito aqui já a algum tempo que acho nosso goleiro comum demais, pois iguais a muitos dos críticos dele, eu também vejo falhas em saídas de gol, reposição de bolas atrasadas, em tiros de meta, em bolas alçadas ao ataque onde quase 100% delas vão parar no peito de um adversário, para a lateral ou em algum espaço vazio do campo.

    Mantenho a convicção de que neste jogo não houve falha, pois foi um lance rápido, à queima roupa, em cima dele que ”deu azar” e rebateu a bola onde estava um avante adversário, mas temos que assumir de uma vez por todas que só o Grêmio consagrou os goleiros do Corinthians, Avaí e São Paulo e nosso goleiro não se consagra em nenhum momento que o time precise dele, pois é evidente demais que todas as bolas que vão para a nossa meta geralmente entram por falta de ”estrela” de nosso goleiro.

    Porém, é o que temos, vamos ter que ir com ele, pois uma nova estrela somente à partir de 2018. Oremos.

    • gremiocampeaomundial

      O goleiro do Avaí, realmente só o Grêmio consagrou.

      O Cássio é consagrado pelos 83%. Na época em que foram eliminados pelo PIFA tava “desconsagrado”, até um banco ele pegou faz um tempinho.

      O goleiro do SPFW é de pebolim mas eu me recuso a comentar. Jogo de campeonato com dez pontos à frente e que a torcida adversária resolve aplaudir de pé desempenho e entrega ANORMAIS do mesmo time que um dia antes queria matar, não conta.

      EDIT: não tinha visto o final mas dá pra ter esperança no PV (ou que o Grohe evolua onde precisa).
      Ademais, a seguir nessa toada, em 2018 vamos contratar outro Navas e segue o baile…
      Só se subir outro Eurico Lara da nossa base, ou trouxermos algum que já exista na de outros clubes.

      • gremiocampeaomundial

        E é tão verdade isso de jogarem a vida contra nós que lembro de ler o blog do Zanquetta e disseram que o goleiro de pebolim salvou eles no final

        ATÉ GOLEIRO DE PEBOLIM QUER APROVEITAR O JOGO CONTRA O “MELHOR TIME DO PAÍS” PRA FAZER UMA MÉDIA!!!!

        A imprensa de lá podia mamar um pouco as bolas do time da Âncora e nos deixar em paz. O problema é que aí podem começar a fazer “jogos da vida” em Itaquera também, e vocês sabem qual é a maior torcida de SP, certo? A imprensa de lá é composta por seres humanos que torcem para clubes de futebol. Façam as contas de verdureiro e cheguem à conclusão óbvia.

        Até o juiz comemorou no final do jogo e tem gente que não vê (ou não quer ver).

        • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

          Bem lembrado.

  • Ricardo

    Desviou do assunto, ilgo. Os números não favorecem o Grohe. As pessoas não gostam dele porque ele é ruim, nada mais.

    • gremiocampeaomundial

      Os números favorecem o Grohe, ao menos tanto quanto ao Navas do Real Madrid (comentei abaixo).

      O problema é que, mesmo assim, ele é mediano (“ruim” talvez numa escala absoluta mas não dentre as opções reais).

      Mas não tem muito o que fazer (aliás, tem: dar chance ao PV, mas consciente de que pode dar certo OU NÃO – tomara que sim!)

      • Thiago

        Não, não favorecem.
        Nem de longe.
        Por favor, comparar o Grohe ao Navas é uma heresia, sou gremista, respeito o Grohe como também gremista jogando pelo nosso time, mas não dá.
        Tu estás comparando o Grohe a um cara que foi destaque em uma copa do mundo jogando pela COSTA RICA e que “só” é bicampeão da Champions pelo Real Madrid.
        Só para realmente embasar o que estou falando, nosso colega Gustavo Medeiros fez extensa pesquisa, com dados, números os quais postarei no comentário normal.

    • Ilgo Wink

      tudo bem, fecho contigo.
      Vamos ver agora quem joga no lugar dele

  • gremiocampeaomundial

    Eu tive meus problemas e não comentei na segunda, não sei se esse papo do Grohe é pelo normal dele (acima da média MUNDIAL, que é HORRORÍVEL e, portanto, abaixo do que eu gostaria) ou pelo jogo no Morumbi.

    Se for sobre isso, OK, ele espalmou pra frente, coisa e tal, tal e coisa… mas achei a falha “aceitável” e podíamos ter vencido mesmo assim. “Inaceitável”, só pra dar dois exemplos, é levar gol pelo meio das pernas contra o líder em casa, ou pular com a bola segura e cair atrás da linha do gol.

    E… P**RA, eu tinha falado já que essa m**da de imprensa fica falando do Grêmio lá tipo:

    “Melhor futebol do país!”
    “Time a ser batido!”

    Aí chega o jogo do LÍDER Corinthians com 83% de aproveitamento e INVICTO NO CAMPEONATO:

    “Time de guerreiros”
    “Consciente de suas limitações”
    “Futebol pragmático”
    “A sorte pode acabar”

    Como resultado, temos Fluminense x Corinthians no Maracanã, domingo. 23 mil com ingresso quase de graça ou de graça pra sócio-torcedor. Corinthians ganha por 1×0 e o que vejo na matéria:

    “Torcida do Fluminense volta a hostilizar o presidente Pedro Abad ao final do jogo contra o Corinthians”

    Aí o SPFW, na zona de rebaixamento, LOTA o Morumbicha com 51 MIL TORCEDORES e o que leio ao final do jogo?

    “Torcida do São Paulo aplaude o time de pé mesmo após o empate em casa contra o Grêmio”

    P**RA DO C***LHO! Contra as Marias foi a mesma coisa “FORA MANO… ah, é contra o Grêmio? ZÊÊÊÊÊRÔÔÔÔÔ -BORA LOTAR O MINEIRÃO GALERA!!!! Trégua de uma rodada!!!!”

    VNTC! Fora outros jogos “atípicos” como Vasco e Bahia…

    • Rezende

      Esta pesquisa só fala que o Grohe é o 4º melhor do mundo num quesito específico, de conclusão cara-a-cara, mas um bom ou mal goleiro é a soma de TODOS os quesitos.
      Por ele ser tão bom NESTE quesito importantíssimo é que ele se mantém como titular do Grêmio a tanto tempo e é justamente por isso TÃO difícil substituí-lo.
      Quando o critico é na esperança que ele treine mais e melhore seus pontos fracos. ACHO que para contratar um goleiro para substituí-lo seria muito CARO e o Grêmio poderia usar esta grana em outra posição. Paulo Vitor A PRINCÍPIO vem para ser o seu reserva e só tomará o lugar do GROHE se sua má fase se estender até para os lances onde ele é mais forte.
      Esta pesquisa considera dados até o ano PASSADO, seria interessante OBTER (sob este mesmo critério) seus números em 2017. Minha impressão é que quase toda bola que ultrapassa o ÓTIMO sistema defensivo do Grêmio e vai ao gol, ultimamente, tem entrado com altíssima taxa percentual e as lembranças de defesas que salvaram gols são, estão bem mais escassas.
      Outro ponto é que SE as estatísticas de desempenho do goleiro gremista não estivessem despencando o clube não teria se preocupado em contratar Paulo Vitor uma vez que Marcelo Grohe não está mais na lista mais provável de convocação de Tite…

  • Thiago

    Eu por muito tempo defendi e acreditava no Marcelo Grohe, talvez por ele ser gremista de origem como nós todos, mas não dá.
    Já vinha me convencendo e “jogado a toalha” quanto a ele, pois desde 2016 são sucessivas falhas e, ao contrário da maioria dos goleiros que melhoram com o passar dos anos, o Marcelo vem piorando sucessivamente.
    2014 excelente
    2015 ótimo
    2016 regular/ruim
    2017 regular/ruim

    Eu sou mais um dos que acham que ele não falhou no gol do São Paulo, na minha visão a falha é do sistema defensivo e do Ramiro, ele defendeu como podia, mas isso não exclui o fato de que, via de regra, a bola que está indo ao gol ele está levando.

    Para embasar em números que estamos aquém com o Grohe, trago a excelente análise muito bem fundamentada feita pelo Gustavo Medeiros:

    “Os adversários chutaram 61 vezes em direção ao nosso gol. 17 bolas entraram. Isso significa que tomamos um gol, em média, a cada 3,58 finalizações adversárias.

    Os números, por si só, não parecem ruins. E não são. Até por isso somos o segundo colocado do campeonato. O problema está do outro lado.

    Corinthians finalizou 78 vezes ao gol adversário e fez 26 gols, dando uma média muito parecida com a do Grêmio, precisando de 2,93 chutes para cada gol.

    Agora que vem o diferencial. E olhem que interessante, o número de vezes que os adversários finalizaram contra o goleiro do Corinthians é exatamente a mesma que contra o gol do Grêmio. 61 vezes. A diferença é que só 7 bolas entraram. Uma diferença de 10 gols. Mais de 100 %. Dando uma média 8,71 chutes para cada gol contra o Corinthians.

    Então o sentimento que eu tinha não era algo vago. Tomamos mais que o dobro de gols, quando a bola vai ao gol. Ou se preferirem, nosso goleiro defende a metade das bolas do que o goleiro do Corinthians.

    Aí alguém pode vir argumentar que a zaga do Corinthians é muito boa e que estamos falando de um grande time e goleiro. E que talvez essas defesas não sejam tão difíceis.

    Então vou dar mais um exemplo de como um goleiro é extremamente importante.

    Douglas Friedrich, goleiro do Avaí. Virou titular na décima rodada. Em sete jogos os adversários chutaram 54 vezes no seu gol. Vejam. Quase o mesmo número do Grêmio e Corinthians no campeonato inteiro. Dessas 54 bolas, só 5 entraram. Ou seja, os adversários precisam chutar, em média, 10,8 bolas, para que uma entre.

    Talvez por isso, o Avaí fez 12 pontos (dos seus 17) nas últimas sete rodadas, tendo enfrentado o líder e o vice-líder.

    Fecho por aqui, tentando mostrar o quanto é importante ter um goleiro que consiga defender mais bolas. Nossos goleiros estão, pelo menos, na metade da média dos grandes goleiros. De nada adianta ter uma zaga confiável, se quando a bola passar, a chance de entrar, será grande. E isso, em campeonatos de mata-mata, é fundamental.”

    Ele assim complementou:

    “Nos últimos jogos, com a exceção do jogo do Flamengo, que jogamos igual ao Corinthians, por uma bola, fomos muito bem, grande apresentações, porém defensivamente:

    Corinthians chutou 3 bolas, fez um gol.

    Palmeiras, chutou 1 bola, um gol.

    Avaí, chutou 3 bolas, fez 2 gols.

    Ponte, chutou 3 bolas, fez 1.

    Vitória, chutou 2 bolas, fez 1.

    São Paulo, chutou 2 bolas, fez 1.”

    E eu trago um adendo que fiz em pesquisa rápida pela tabela:

    “Para adicionar ao teus números, em rápida olhada pela tabela vi que temos a sexta melhor defesa da competição, 17 gols sofridos, 10 a mais que o líder Corinthians e 7 e a mais que o terceiro colocado, o Santos.

    Diante de toda essa constatação, é impossível não questionar a eficácia do Marcelo Grohe, caindo um pouco por terra aquele argumento que “o sistema defensivo do Corinthians é melhor”, até como sistema pode ser, mas sofre o mesmo que o nosso “61 finalizações” e leva bem menos gols, mostrando-se inevitável o questionamento ao nosso arqueiro.”

    Só para adicionar ao debate, o Gustavo utilizou na comparação feita três goleiros que já passaram por aqui:

    Grohe, Cássio e Douglas. Se abrir o leque para outros arqueiros, com toda certeza piora.

    Feitas todas essas considerações, não vejo como não questionar essa titularidade inquestionável do Grohe.

    Espero que o Paulo Victor logo seja testado, talvez uma sombra faça o Marcelo acordar e, ao menos, voltar a 2014 e 2015, período no qual era nítido que ganhávamos alguns jogos em virtude de intervenções decisivas dele.

    Isso não ocorre há muito tempo, mas muito mesmo.

    • Fábio Viana

      Enquanto escrevia meu comentário o teu entrou. Bela análise. Comentei o fato de sermos pouco atacados e mesmo assim levarmos gol.

      Se possível, teria como o Gustavo excluir desse levantamento os jogos contra Sport e Palmeiras, só para termos uma ideia mais clara somente do time titular?

      • Gustavo Medeiros

        E aí Fábio, não muda muita coisa.

        Veja, no jogo do Sport, eles finalizaram 10 vezes, fizeram 4.
        No jogo do Palmeiras, eles finalizaram 1 vez, e fizeram 1.

        Lembrando que a análise foi feita somente com finalizações certas, ou seja, bolas que foram em direção ao gol.

        Só para completar, antes que achem que eu pego no pé do Grohe, a média do Leo, que jogou 5 partidas é 50 % pior que a do Marcelo.

        O que tento mostrar é que precisamos melhor nossos goleiros, eles fazem parte do sistema defensivo e outros times somam pontos por causa deles.

        E não por acaso só fiz a análise com goleiros que são ou eram do Grêmio. Para mostrar como evoluíram fora do Grêmio.

        • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

          Gustavo, ótima e perfeita análise, parabéns.

          Porém, veja que os 4 gols tomados do Sport mais o gol contra que tomamos do Palmeiras com times reservas, e os 3 gols tomados ”atipicamente” da Chapecoense porque o time estava muito solto e fez 6 gols naquela noite, fariam nossa estatística baixar de 17 para 9 gols contra somente.

          Nesse caso, acho que ficaria a imagem de que não precisaríamos ”melhorar” nossos goleiros, e isso também é uma necessidade

          • Eduardo

            Pena nada incompetencia pura do Sr. Bolzan. Passa impressão de mediocridade… lamentável…

        • Ricardo

          A média do Leo é melhor que a do Grohe, ele sofreu 7 em 26, um pouco melhor que o titular. Se tirar os jogos com o time reserva, ele só sofreu 2 gols em 15 finalizações, média mais de 100% melhor que a do Marcelo.

    • Ilgo Wink

      Muito interessante esse levantamento.
      Mas sigo acreditando no Grohe, que cresce nos momentos decisivos. Assim era o Danrlei, que tomava gols bobos e depois salvava nas decisões

      • Eduardo

        Triste comparaçâo

    • Ricardo

      Só completando, o Leo jogou 5 jogos, sofreu 7 gols em 26 finalizações certas, média de um a cada 3,71. Se tirar os jogos com o time totalmente reserva, são 2 gols em 15 finalizações, ele dobra o rendimento, com média de um gol a cada 7,5 (SETE VÍRGULA CINCO) conclusões em gol. Grohe só jogou com os titulares, tomou dez gols em 35 chutes a gol, média de um gol a cada 3,5, pior que a média total do Leo, menos da metade da média do Leo com os titulares.

  • Fábio Viana

    Estatisticamente o Grêmio sofre poucos chutes a gol, mas seguidamente toma gol.
    Excluindo os jogos do Sport e Palmeiras o time tomou 12 gols em 14 jogos. Próximo de 1 gol por jogo.
    Pra mim isso não tem problema, enquanto estiver fazendo mais do que tomando, tudo bem.

    Acho que a maioria crítica o Grohe pelo fato dele não salvar o time tão seguidamente quanto outros goleiros fazem no campeonato.
    Com exceção do jogo na Argentina, as demais vitórias não vieram pelas mãos do Grohe e esse é ponto.

    Como sempre digo, haverá jogos em que um time deve ganhar graças ao seu goleiro e com Grohe isso dificilmente ocorre. Essa é a minha maior crítica.
    Não precisa ser em todos os jogos, mas, por exemplo, os jogos contra Corinthians e São Paulo são evidências dessa necessidade e possibilidade. Eram jogos em que não fomos massacrados e que o goleiro poderia ter salvo o resultado.

    • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

      Pois é, Fábio, e nesse caso o Grêmio estaria empatado com o Corinthians com 37 pontos, pois teria somado mais 5 e ”os manos” teriam 3 à menos e isso, sem considerar o massacre do Grêmio contra o Avaí em que a nossa bola não entrou e o Grohe não falhou nos gols tomados.

      Que pena, amigo, a fase do time é mesmo muito boa e fico imaginando aqui vários comentários dos críticos, inclusive meus, de que é possível acreditar ainda numa evolução do Grohe, pois cresci vendo e ouvindo que goleiro é igual a vinho, quanto mais velho, melhor, e parece não ser o nosso caso.

      Acho que uma mudança no nível e perfil dos treinamentos de nossos goleiros seria boa, pois como o Ilgo questionou o Ricardo mais abaixo, ele fecha com ele, mas quem entraria no lugar do Grohe se o nível de treinamentos é igual para todos os goleiros do elenco ????? Eu já teria mudado o treinador de goleiros em dezembro 2016, pois esse papo vem desde a ”era Roger Machado”.

  • Alexandre

    http://espn.uol.com.br/noticia/693140_quem-e-o-melhor-goleiro-do-mundo-os-numeros-dizem

    O link acima é de uma matéria publicada no site da ESPN sobre goleiros. É feita através de estatísticas e leva em conta goleiros da principais ligas do mundo. Para quem não quiser ler, Marcelo aparece como 3° goleiro com mais defesas cara-a-cara com o atacante e é o 2° melhor no quesito “% de chutes que resultam em gol”, atrás apenas do Oblak.

    Não sou fã do Grohe, acho um bom goleiro que já teve ótimos momentos e vive uma fase ruim. Ele me irrita muito quando faz cera, quando tem que chutar uma bola e nas saídas de gol. Debaixo das traves, ele é ótimo (minha opinião, corroborada pelos números da pesquisa acima). Eu traria sim um outro goleiro para, no mínimo brigar pela titularidade. Não acho que será o Paulo Victor (Jean do Bahia me parece promissor).
    Só acho que não é necessária toda essa grita contra o cara. Não é o goleiro dos sonhos de ninguém, mas vem dando conta do recado nos últimos anos (lembram da defesa na final da CB, chute do Jr.Urso? Sensacional, poderia ter sido um jogo diferente se tivesse entrado).

    • Gustavo Medeiros

      E ai Alexandre, tudo certo?

      O Ilgo trouxe essa pesquisa, logo quando saiu.

      Eu, como analista, achei meio que furada. Quem é o Oblak? É o melhor goleiro do mundo na tua opinião?

      Um dado, por exemplo, eles consideram todas as finalizações como ponto de análise, ou seja se o cara chutar fora do estádio, será ponto positivo para o goleiro, pois é uma finalização que não entrou. Mas na sua maioria, é falha do atacante, ou mérito da defesa, que chegou junto e não deixou ele chutar em direção ao gol.

      Eu acho que análises só com bolas que vão em direção ao gol, muito mais realistas.

      Mas é só a minha opinião.

      De qualquer maneira, dizer que o tal do Oblak é melhor que o Neuer, Buffon, Casillas, Navas, Čech entre outros, não precisa de dados para ver.

      • Alexandre

        Gustavo, acompanho bastante futebol europeu e acho o Oblak, do Atlético de Madri, um dos cinco melhores goleiros do mundo. Prefiro Buffon e Neuer, sem dúvida.
        Acredito que a estatística que trouxe tem que ser relativizada, afinal, esses goleiros jogam com e contra times diferentes. No entanto, não a considero furada como disseste. Uma análise baseada em chutes a gol/gols sofridos não leva em conta outras variáveis, qualidade do atacante, da finalização, distância para o gol, força/precisão do chute, etc. Difícil avaliar futebol através de estatísticas.
        Trouxe a pesquisa da ESPN para oferecer uma outra visão sobre o nosso goleiro. Como disse, acho um bom goleiro que está numa fase ruim e também questiono sua titularidade. Só não vejo substituto no grupo hoje.

        • Gustavo Medeiros

          Verdade Alexandre, qualquer estatística tem que ser relativizada.

          E a minha pergunta foi capciosa contigo, quando perguntei quem era o Oblak. Veja, rapidamente, me falaste que considera ele um dos cinco melhores do mundo, mas não a frente do Neuer e do Buffon.

          Porém, segundo a pesquisa, Grohe só fica atrás do Oblak no quesito “% de chutes que resultam em gol” e é 3° goleiro com mais defesas cara-a-cara com o atacante.

          Mas tudo isso é conversa de bar, não é? Grohe é o titular, contrato até 2020, não tem reserva melhor e assim será. Temos é que recuperar ele.

          • gremiocampeaomundial

            Agradeço aos dois colegas que me pouparam de uma úlcera digitando algo que às vezes parece-se subestimar: estatística deve ser interpretada. Nem precisa ser “relativizada” porquanto já é relativa por natureza. Tudo isso é parte da teoria mas não vende jornal, daí criam se as condições pra armar o circoi. A ênfase fica no resultado a ser “vendido”,

            Claro que isso não quer dizer que estatística não tenha valor. Acho que ambos deixaram claro e peço licença para acrescentar um exemplo: use os números de Leandro Damijão em 2011 para decidir qualquer coisa sobre o atleta. Quem tentar se basear só nos números aqui será iludido por uma efetividade que não se manteve. Mas com números altos a probabilidade maior não está do outro lado da moeda? Se não levar em conta o critério observacional dele ser um GROSSO CANELEIRO, por mais “subjetivo” que este pareça ser.

            CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! CORRELAÇÃO NÃO IMPLICA CAUSALIDADE!!! …

            … e o Damijao vai mofar em “La B” – ufa, terminei! A propósito, quem não gostar do “critério observacional” pode fazer o seguinte: pegar os números do jogador em amostragem maior e descobrir que, nesse contexto, a única correlação existente entre seu rendimento naquela época e a qualidade mensurável de render na mesma faixa só estão correlacionadas por… ACASO! Perdi alguma outra variável aleatória que possa ter interferido? Eu queria por o meu critério observacional, mas ele não é objetivamente mensurável.

            Resumo da ópera: estatística existe pra ser bem usada. Não pra ser tolamente rejeitada sem razão, nem pra formar absolutistas incapazes de refletir sobre dados, de fazer com os números algo diferente de entoá-los como um Mantra igual a uma vitrola quebrada.

    • Ilgo Wink

      Alexandre, os críticos do Grohe não querem saber dessa pesquisa, só interessa as pesquisas desfavoráveis ao Grohe, rsrsrs. São os implicantes, rsrs

      • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

        Pô, meu Blogueiro ….. (kkkkk), este assunto foi amplamente debatido com 156 comentários dia 09/05/2017 quando tu apresentou esta pesquisa da ESPN com o título:

        Pra matar corneteiro: Grohe entre os melhores do mundo

        Ilgo, o que percebo aqui nas contestações dos ”implicantes” (estou nessa também), é que não existe uma evolução no decorrer da carreira do goleiro Marcelo Grohe e some-se à isso esta fase irregular dele a 18 meses com muitos altos e baixos que deixam realmente a torcida apreensiva demais.

        Escrevi hoje mais abaixo e várias outras vezes por aqui, que deveríamos ter trocado o nosso treinador de goleiros em dezembro de 2016 devido a estas irregulares atuações.

        Para comprovar o descontentamento com esta necessidade por uma fase irregular do Marcelo Grohe, tu sabes que foi confirmado que o Cássio do Corinthians foi procurado em junho/2016 e janeiro/2017, e só não veio porque o Corinthians queria vende-lo em definitivo.

  • Gabriel

    Discordo, Ilgo. O Grohe é um bom goleiro, somente isso e isso não basta para ser número um de time grande. Nem vou entrar no mérito que sua saída do gol é uma vergonha ou que com pés é terrível, vou me fixar nos números, ele coleciona 10 pontos na classificação, em relação ao Corinthians, no seu carnê.
    No último jogo ele tenta espalmar para um lado e a bola vai para outro. No lado São Paulino o goleiro Renan deu aula de como espalmar uma bola…