A dança dos microfones no rádio gaúcho

Desde a saída de Luís Carlos Reche da Rádio Guaíba, onde vi o ‘Salsicha’ engatinhando como repórter setorista do Inter, que o mercado do rádio esportivo vive um período de mudanças.

Desde 2014 que a emissora tem um novo chefe no esporte: Nando Gross, que andava insatisfeito na Gaúcha – teria quebrado os pratos com o chefão Pedro Ernesto, também conhecido como Pedro Legado, segundo leio por aí nas redes sociais, em especial no blog cornetadorw.

Pois o Nando, dentro do seu direito e até dever, tratou de formar uma nova equipe esportiva. Assim, aos poucos velhos nomes foram ‘desligados’. Por exemplo, Flávio Dal Pizzol e Rogério Bölke.

O último (ou mais recente até o momento) a ser afastado foi o narrador Marco Antônio Pereira, um nome capaz de levar consigo um grande número de ouvintes. Realmente, difícil de entender.

Por outro lado, dias atrás foi acertada a volta de José Aldo (que iniciou com Marcão na Guaíba no século passado).

O time de Nando foi reforçado também por alguns jovens e, especialmente, por Carlos Guimarães  -este há mais tempo -, um analista de respeito e credibilidade. Coisa rara nesses tempos em que alguns jornalistas/radialistas não conseguem disfarçar suas preferências clubísticas, comprometendo o seu trabalho e atropelando a ética.

Mas aí já estamos falando de um mercado que entrou em ebulição mesmo em fevereiro, a partir, de novo, do Reche, que foi desligado (antigamente a gente dizia demitido) da Rádio Band. Foi uma surpresa, porque o Reche além de incrementar a programação ainda trazia anunciantes.

A dança das cadeiras, ou dos microfones, entrou em ritmo mais acelerado. Desde então muita gente trocou de estúdio. Pedro Ernesto apostou em nomes novos para narração de jogos (Marco Antônio saiu ou foi ‘saído’), de modo que hoje não sei quem é o narrador número 2 da Gaúcha.

Outro grande fato no meio foi a demissão de Wianey Carlet, traído por um microfone que estava aberto quando deveria estar fechado. WC falou demais e o que não convinha para o momento. Muitos ouvintes pediram a cabeça do comentarista.

Nesta semana, WC estreou na Band (com ele o Alex Bagé, que conquistou uma legião de fãs na Grenal), que está montando uma equipe forte para competir e até brigar pela liderança. Tem até um programa novo, que vai das 12h30 até as 14h. Briga direta com o Sala de Redação, que não é mais aquele, está renovado, mas parece ter perdido sua alma, sua essência.

Não é por nada que o ‘Santaninha’, personagem do Duda Garbi, repete seguidamente o mantra: “Saudade do antigo Sala”. Os mais veteranos, imagino, devem concordar.

O fato é que a Rádio Grenal, que cresce de audiência e de qualidade com a incorporação do Dal Pizzol, Rogério e, por último, Marco Antônio Pereira, também entrou na briga contra o Sala.

Já a Guaíba se abstém nessa disputa. Segue com um programa que dá espaço justamente para aqueles que a população em geral mais detesta: os políticos. Sem contar o viés ‘esquerdista’ do programa.

Devo ter esquecido alguns nomes. É que é muita mudança nessa dança dos microfones. Ah, hoje a Band anunciou a demissão do João Batista Filho, um repórter agitador da nova geração.

Para encerrar, dos grandes nomes só quem ainda está sem microfone no rádio esportivo gaúcho é o Reche. Não duvido que ele e seu velho rival, Mortadela, passem a dividir o microfone.

É difícil, mas nada é impossível nesta agitada dança dos microfones.

 

Se gostou, compartilhe!

  • Igor Klein

    Falando em Pedro Legado, o programa dele já tem outra “baixa”: a SAP tirou o patrocínio do Sala.

    • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

      Igor, e fiquei sabendo que vem mais por aí.

      • Igor Klein

        Agora me conta! kkk

        • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

          Aguarde mais uns dias ….. seu curioso (kkkkk).

  • Luis Augusto Waschburger

    Ilgo, sabes por quê o Bagé saiu da Grenal? Proposta financeira?
    Eu achei lamentável.
    Vai dividir o microfone com o WC.
    Gostava de ouvi-lo, mas acabou perdendo um ouvinte, já que o WC foi um dos motivos de eu nunca mais ter escutado a gaúcha… não suporto sua voz, nem este personagem verborrágico que ele acaba fazendo.

    • Ilgo Wink

      Olha, acho que ele saiu por questões financeiras mesmo

  • Thiago Romano

    Desculpe a falta de informação, quem é mortadela ? e outra ontem vi umas postagem do Diogo Rossi no twiter, falando que vinha mais novidades na rádio Grenal, não será o Rech ?abraços ótima coluna.

    • Ilgo Wink

      Mortadela é o PErnesto
      Sobre o Reche nada sei, a não ser que ele tem programa diário na Ulbra TV

  • FERNANDO

    E dizer que o PROFETA TROVADOR, que o PROFETA ATOCHADOR da IVI, o senhor Pedro Salmão Legado, não tocou sequer no assunto na Radio Gaúcha ou no Jornal Zero Hora sobre os seus comentários imundos contra o ex-jogador do Grêmio, Miller Bolanos. Fez apenas um mero e comedido pedido de desculpas na sua conta do Twitter, onde foi impiedosamente bombardeado pela torcida gremista . O narrador deve estar sofrendo de uma overdose de salmão.

  • th_albornoz

    Espero que esse cafajeste do Pedro Legado logo esteja comprando horários na Ulbra TV. Cafajeste, capadócio, biltre, safado.

  • Walter Luis Borba

    Foi uma boa essa oxigenada nas Rádios…
    Uma coisa é certa, contestou o Inter e o Dalessandro, a demissão é certa!
    Em abril o Marcão teria criticado o Dalessandro e a Guaiba pediu para que ele se retratasse.
    Não se retratou e logo saiu.
    João Batista Filho é foi um pivô de uma “briga” com Dalessandro, inclusive, teria sido expulso da concentração???
    Enfim, a IVI está mais poderosa do que nunca….

  • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

    GRANDE ILGO WINK !!!!! (tem ”tocaia” aí copiando isso kkkkk)

    Essa dança das cadeiras & microfones é muito necessária na mídia porque tem uns dinossauros aí que estão parados no tempo e vivem do passado, pois lembro que após a saída do ótimo Profº Ruy Carlos Ostermann da RBS e a chegada do Pedro Salmão do Legado da Copa no Sala em abril de 2012, destruiu o programa que já vinha desde 2006 em queda livre após aquela baita zebra do gol do Gabirú à ponto do RW fundar em 2012 o bom Blog de resistência a ”IVI” de tanto que aumentou a proteção das mídias ao Inter e do pau que insistem em dar no Grêmio todos os dias que contagia até alguns Gremistas.

    Também lembro de vários nomes que dançaram depois da chegada do âncora Pedro no Sala como Lauro Quadros, Kenny Braga, Zé Alano, Nando Gross, Paulo Sant’Ana que já vinha doente a 15 anos, Marco Antonio, Wianey Carlet e também daqueles 04 fanfarrões Fernando Carvalho (agente de jogadores), Teddy Corrêa (vocalista de banda fracassada), Fabrício Carpinejar (que pensa ser um poeta), e do João de Almeida Neto (um cantor e compositor nativista).

    O que chama mesmo a atenção, Ilgo, é que após a demissão do Kenny Braga da gaúcha, um ”burreldo radical de marca maior e idiota” como disse um ”sábio” aí naquela época, a RBS que tem os donos azuis, mas que o jornalismo esportivo da casa é vermelho como garantiu o Nelson Sirotsky na entrevista no Programa do Jô em 28/10/2007 (Link abaixo), o Pedro Salmão do Legado da Copa trouxe seis colorados fracassados que não deram certo para enxertar ainda mais a mesa como Fernando Carvalho, Teddy, Carpinejar, Kelly, Edu 001, Castiel que se juntaram aos já existentes Guerrinha, Wianey, Olivier, Saraiva, ou seja, como bem disse o Walter Luis Borba aí abaixo, ”a IVI está mais poderosa que nunca”.

    Como dizia o Profº Ruy Carlos Ostermann, ”precisamos avançar”, pois os caras são muito ruins.

    https://www.youtube.com/watch?v=6oYbLK7vUog

  • Eder

    Marco Antonio Pereira disparado o melhor narrador do Rio Grande do Sul só ouço ele ou o Cristiano Oliveski da nossa rádio Grêmio Umbro. Aliás se a Grêmio Umbro investisse em Marco Antonio seria um estouro de audiência.

  • Mazito Tricolor

    Já faz um bom tempo que eu só escuto a Guaíba. É onde os profissionais conseguem ser mais isentos, tirando claro o Nando, que finge enganar alguém com o papinho de torcer para o Barça. Sei muito bem porque tu torce pro Barça xinelão! Mas enfim fiquei muito triste com a saída do Marco Antônio Pereira, um excelente profissional, eu mesmo fiquei sem entender mas agora lembrei que ele vivia falando a verdade sobre o juiz Dalebiba, só pode ser isso. Mas a Guaíba me agrada porque tem um time de jovens profissionais e muito talentosos, como Cristiano Oliveira e Rafael Serra, capazes de analisar com profundidade as partidas. O programa equivalente ao sala vai das 11:00 as 13:00, e apesar de em alguns momentos fugir para uns assuntos meio bizarros, e muito pelo seu ancora Carlos Guimarães, que adora falar sobre besteira e filosofar sobre coisas supérfluas e sem sentido, é um programa que eu considero bem mais agradável e leve que o sala,o qual deixei de escutar diariamente há uns 3 anos, e já nem lembro a última vez que liguei nesta rádio, um antro do que há de pior na comunicação esportiva, uma vergonha aos ícones do passado. Fora a Guaíba acredito que a Grenal também esteja fazendo um bom trabalho, mas Band e Gaúcha são insuportáveis, não escuto este lixo nem que me paguem.

    • Daniel Harres Braga

      Esse programa das 11h na guaiba eh muito bom, ouço direto, fora isso a grenal da um banho no resto. Nao gosto do kenny mas na grenal parece q ele ta mais comedido e racional. A gaucha as vezes eu coloco mas nao da mais, a voz do pedro ernesto eh irritante demais, chega a dar dor de cabeça.

  • Fabio Scheffer

    Eu já nem ouço mais radios esportivas aqui no RS.
    O surgimento das redes sociais escancarou o que a gente imaginava, mas não tinha certeza, a crônica esportiva daqui tá completamente contaminada pela IVI e qualquer analise, e até informação, hoje parece comprometida pelas cores clubísticas, no caso a vermelha.
    Torço muito que num futuro próximo a radio do Grêmio se torne exclusiva do nosso clube, com muito espaço para discutir futebol, mas também com programas de musica boa intercalando a programação, sempre sob o comando de gremistas.
    Pode até parecer um pouco radical, mas acho que essa separação é necessária e será muito apoiada pela massa tricolor.

  • Daniel Scherer

    Eu de minha minha parte me abstenho de consumir qualquer coisa que venha da imprensa esportiva gaucha. Não ouço, leio ou vejo nada. Penso que faço a minha parte em não dar audiência para a IVI. Claro que alguns deste citados realmente tem credibilidade mas os bons pagam pelos ruins, pelo menos no caso da minha audiência que é um grão de areia no deserto.
    Então por mim, que todos eles acabem em uma rádio do interior de alagoas narrando rodeio de bodes.

  • Serrano

    Sinceramente? Pra mim, esse povo todo deveria estar vendendo cachorro-quente na esquina – que é onde vão parar, eventualmente, porque Deus tá vendo tudo. E se as rádios ditas ‘isentas’ de Porto Alegre encerrassem atividades hoje, eu não diria “pra mim, faz dois dias” porque faria bem mais tempo.

  • Jc Baldi

    O Wianey no tempo da Guaíba (15 anos atrás?) tinha um programa muito bom, acho que às 14h, depois foi se perdendo na Gaúcha…uma vez encontrei-o no Ecoposto ali da frente, e parecia sempre contrariado em participar do Sala em função do Santana e do Kenny, que meio que bagunçavam o programa pelo fanatismo…(na visão dele)
    O Marco Antônio Pereira é o melhor narrador desde os tempo da Guaíba com o Zé Aldo.
    Eu larguei o Pedro Ernesto faz tempo, porque sempre atirava para a torcida, fazia média, sensacionalismo barato.
    Desde que o Nando foi para a Guaíba só escuto por lá ou Grêmio Rádio. O Guimarães, o Cristiano Oliveira e o Nando são o melhor time de análise tática que existe. O pouco que eu ouvia da Grenal era o programa do Cristiano Oliveira. Depois não escutei mais. O Reche é teu amigo, Ilgo, mas é muito ruim…desculpe.
    Não sei se pelo D’Ale ou não, mas o Marcão acho que tinha um perfil meio brigão, por isso saíram com ele. Já tinha visto nos tempos da Gaúcha alguns arranca-rabos. Uma pena, mas indo para a Grenal talvez dê uma boa sacudida nas rádios. A conferir. O nº 2 da Guaíba foi trazido de Caxias, Luís Magno. Não escutei, então não sei se é bom ou ruim.
    Na verdade temos que aprender a escutar as rádios com espírito crítico ou mesmo não ouvi-las se acreditarmos que não acrescentam nada. O cara escuta para se informar e forma sua opinião baseado em seu modo de ver o mundo. Brabo é a patrulha da internet, que persegue até os gremistas que têm opinião diferente.

    • Ilgo Wink

      Só sei dizer que tá bonita essa disputa por espaço, por audiência
      O Magno é muito bom narrador